Jogando Xadrez: gerindo stakeholders em uma transformação

Transformar é algo que gera incômodo. Afinal, se fosse confortável as coisas já teriam mudado antes, certo? Quando entramos numa empresa para viabilizar novos patamares de resultados, estabelecer novos modelos de trabalho, o mais comum é que tenhamos que mapear stakeholders, quais são as pessoas que vão nos apoiar neste movimento, quais vão se opor… E tudo isso faz parte uma disciplina já velha conhecida de quem vem do mundo de projetos: a gestão de stakeholders.

Ouça este artigo!

Há alguns anos atrás, numa conversa muito inspirada com o Lucas Freitas, estávamos justamente discutindo o que fazer com um cliente. Só que eu e ele não estávamos conseguindo ter a mesma visão. O que ele enxergava era diferente do que eu enxergava, e isso estava atravancando demais a nossa comunicação e o plano de atuação para aquele cliente. Eram vários fatores na mesa, mas o fator humano e de suas motivações era o mais crítico para que montássemos um bom plano.

Ora, era claro que a gente precisava falar de gestão de stakeholders.

Sabíamos que podemos usar vários modelos para fazer esta gestão: temos o tradicional mapa de stakeholders, a matriz RACI, a matriz de interesse vs. influência… E ainda hoje fazemos bom uso dessas ferramentas quando a situação pede. No entanto, quando o assunto é transformação, nós da K21 sentíamos falta de algo que abarcasse não apenas a parte da visibilidade e das ações, mas também uma combinação que nos permitisse enxergar motivações individuais, posturas e o cenário… como se fosse um tabuleiro.

E foi assim que criamos o Xadrez da Exponencialidade.

Jogando Xadrez: gerindo stakeholders em uma transformação 1

Mapeando os stakeholders

Para usar o Xadrez, você pode imprimir a imagem do tabuleiro em uma folha A2 e usar postits, usar um mural digital ou até mesmo um google slides. Em geral, fazer este exercício usando a inteligência coletiva (em grupo ou mesmo em dupla) é mais proveitoso do que individualmente.

Mapeando o tabuleiro:

  • Crie um postit para cada pessoa que está atuando ou influenciando o cenário que você quer avaliar
  • De acordo com a legenda, escolha a cor daquela pessoa de acordo com o poder de influência que ela vem demonstrando. É um detrator da transformação? Um promotor? Uma pessoa que pode até querer ajudar mas não tem perfil ou posição para gerar resultado (toco)? Uma alavanca que ainda não conquistamos, mas que pode influenciar positivamente?
  • Posicione cada um dos postits de acordo com os 2 eixos que vemos no tabuleiro: a pessoa é mais focada em cultura ou em resultados? A pessoa tem mais um perfil de tarefação ou de transformação?
  • Para cada pessoa, defina qual é a postura que você está observando. É uma pessoa que está apavorada com o processo? Está curtindo? Já desistiu do jogo?
  • Agora identifique os motivadores de cada uma dessas pessoas. Elas estão tomando decisões para ganhar bônus? Por política e imagem? Pela relação com as pessoas? Porque querem ver resultados?
  • Use as setas coloridas para mapear as influências que uma pessoa tem nas demais. A influência pode ser positiva ou negativa.
  • Para pessoas que estão participando ativamente do processo de transformação, use a última cor (azul esverdeado) e posicione-as no tabuleiro. Estas são pessoas que estão colaborando diretamente com a nossa estratégia, e com quem falamos abertamente sobre o xadrez.
Jogando Xadrez: gerindo stakeholders em uma transformação 2

Definindo ações

Agora que você já consegue ver o tabuleiro, comece a definir quais são os movimentos que você acredita que deva priorizar. Por exemplo, abaixo vemos que Helena é uma alavanca que está sendo influenciada negativamente por Paulo. Para que possamos conquistar Helena, vamos pedir para o Vinícius, que é um promotor e tem foco em resultado, para conversar com ela e mostrar a ela como a transformação pode ser benéfica para ela e seu time.

Jogando Xadrez: gerindo stakeholders em uma transformação 3

Use as setas tracejadas para identificar os movimentos que precisam ser feitos. Dessa forma, em vez de ser você sozinho a tentar convencer a todos, você pode buscar ajuda no próprio sistema e unir pessoas em prol da transformação e seus resultados.

É por isso que este é o Xadrez da Exponencialidade. Se influenciamos Vinícus e ele conquista Helena, ela por sua vez pode influenciar várias pessoas positivamente. Isso reduz nosso esforço de transformação e exponencializa nossos resultados.

Esta ferramenta faz parte do Certified Exponential Leader. Se você quiser aprofundar no uso dela e várias outras práticas que viram o jogo para a liderança, clique aqui para saber mais!

Sobre o autor(a)

Agile Expert e Trainer na K21

Consultora, Trainer e sócia na K21, trabalha com estratégia de negócios, produtos, governança e desenvolvimento de performance de equipes há mais de 10 anos. É autora da série de livros O Produto Ágil, e de OKR e estratégia de negócios para transformação (US e BR).

Artigos relacionados

Após terminar de ler o livro Ruído de Daniel Kahneman, decidi reler alguns clássicos que não olhava há algum tempo. Dentre eles, Rápido e Devagar do mesmo autor e Pensando em Sistemas de Daniela Meadows. Não pude deixar de perceber…

O Guia do Scrum fala sobre o refinamento do Product Backlog: “O Product Backlog é refinado conforme necessário” (p. 9). Todavia ele não descreve exatamente o que é o refinamento. Uma reunião, uma atividade, um processo. Neste artigo vamos jogar…

Marcos Garrido, Sócio-fundador e Trainer na K21

Existem muitas formas de organizar as métricas de seu produto / empresa. Aqui neste blog já escrevemos sobre as Métricas do Pirata, Fit For Purpose (F4P) e Métricas nas Quatro Áreas de Domínio da Agilidade. Todavia, agora, queremos falar sobre…

Após alguns anos desenvolvendo produtos e ajudando outras empresas a fazer tal, gostaria de listar com vocês alguns erros comuns que percebi ao longo dessa jornada. Olhando para as 4 Áreas de Domínio da Agilidade (Negócio, Cultural, Organizacional e Técnica)…