O ciclo da Melhoria contínua em uma visão de transformação 2 caminhos.

Subtítulo: Contornando as pedras na mudança com uma visão complementar sobre melhoria contínua. 

Qual é a verdadeira forma de fazer a tração para a mudança? É isso que espero ajudar você a entender neste conteúdo. 

Ouça este artigo!

Quando se trata de mudança o que deve acontecer primeiro? A mudança de Mindset (forma de pensar) ou a mudança de comportamento? Essa foi a pergunta que o Vinicius, do Nubank, fez para Lula, Panda e depois para mim, em forma de provocativa. 

Desde então, essa questão ficou em minha cabeça, até que surgiu uma conversa sobre o assunto em uma mesa de bar no happy hour no Agile Brazil de Belo Horizonte, e durante essa conversa surgiu O Ciclo da Melhoria Contínua segundo nossa visão. Sendo constituído de 4 variáveis: consciência, comportamento, mindset e repetição constante, que formam o ciclo. 

  • Consciência:  Em geral, a consciência se refere à capacidade de uma pessoa de ter conhecimento e percepção de si mesma, do ambiente ao seu redor e de suas próprias experiências e emoções. Mexer na consciência de uma pessoa ou grupo de pessoas não é algo tão simples, auxiliar que entendam que o sistema organizacional que está vivendo precisa de mudanças para melhorar, demanda grande assertividade.
  •  Comportamento: Refere-se às ações ou reações de um indivíduo ou grupo em resposta a estímulos do ambiente. Pode incluir atividades observáveis, como falar, andar, comer, bem como processos internos, como pensamentos, emoções e reações fisiológicas.
  • Repetição Constante: é o ato de realizar a mesma atividade ou prática repetidamente, de forma sistemática e com regularidade. É uma técnica comum em muitas áreas de aprendizado, como a prática de habilidades físicas, aprendizagem de idiomas e treinamentos de negócios. A ideia por trás da repetição constante é que a prática repetida ajuda a consolidar novas habilidades e conhecimentos na memória de longo prazo, que gera novo modelo mental, ao ativar o System 1* das pessoas, ou seja, elas agem naturalmente. 
  • Mindset (Modelo Mental): refere-se ao conjunto de crenças, ações e pensamentos que uma pessoa possui em relação a si mesma e/ou ao mundo ao seu redor. Podendo ser considerado como um padrão mental que influencia a forma como uma pessoa percebe, interpreta e reage às situações e desafios que enfrenta na vida. Mindset impacta o sucesso pessoal e profissional de uma pessoa, ao influenciar a capacidade de aprender, enfrentar desafios e lidar com a mudança.
O ciclo da Melhoria contínua em uma visão de transformação 2 caminhos. 1

Para fazer uso do fluxo a sugestão é por dois caminhos, dependendo do nível de resistência da organização. 

Organização com Mindset Aberto 

Neste caso podemos começar pela consciência, realizando um trabalho de quais partes do sistema podem mudar/evoluir, a partir deste ponto, surge um novo comportamento, que deverá ser repetido constantemente a repetição constante gera um novo Mindset, esse novo mindset permite que a mente fique aberta a receber novas consciências. 

O ciclo da Melhoria contínua em uma visão de transformação 2 caminhos. 2

Organização com Mindset Fechado

Estas organizações têm maior dificuldade em aceitar que precisam de mudanças ou seja a consciência tende a estar fechada ou focada em outros pontos, então o caminho para a mudança é apresentando resultados de que se mudar seria positivo. Dado isso a sugestão é começar por repetição constante, que dando certo, deve gerar um novo Mindset, com resultados práticos, então isso servirá como abertura de consciência, que abre a conversa para novos experimentos de comportamentos, para ampliar as ações de repetição constante

O ciclo da Melhoria contínua em uma visão de transformação 2 caminhos. 3

Perceba que nos dois caminhos vira um ciclo contínuo, repetitivo e interminável. Ou seja, a melhoria contínua não tem fim. 

Experimente o Ciclo, e deixe seu comentário, o que você acha? 

A história por traz deste ciclo. 

(para quem gosta de saber origens) 

Durante o Agile Brazil em Belo Horizonte, aconteceu um Open Space sobre melhoria contínua, que durou mais de 2 horas, o qual não tive oportunidade de participar, mas fiquei curioso então, no Happy Hour levantei o assunto novamente e na mesa de bar tomando aquela breja combinamos que por um periodo de tempo iriamos discordar de propósito, ou seja filosofar (o ato de discordar), nesta conversa estamos em seis pessoas* discutindo o assunto, e no meio da conversa lembramos da pergunta que o Vinicius do Nubank fez para Samuka, Panda e Lula, – O que é mais importante, mindset ou comportamento? E essa pergunta esquentou a conversa, que foi se desenrolando até a hora que Samuka tirou um bloco de post-its do bolso e começou a desenhar com a galera, e saiu esse ciclo. 

Claro na hora, achamos que estamos abalando, mas a realidade é que existem outras literaturas que falam a mesma coisa ou algo muito parecido. Isso só provou que estávamos no caminho e que o ciclo faz sentido.

Os assuntos deste post são encontrados nas trilhas Kanban KSI e Scrum no A-CSM,

Pessoas da conversa: *Panda (Antonio Gerent), Samuka (Samuel Cavalcante), Fábio Souza, Leandro Garcia (que ainda discorda das conclusões), Thiago Sousa e Alisson Fernandes.   

Agora é com você. 

System 1* Refere-se ao sistema de processamento de informações do cérebro que é automático, intuitivo, rápido e não requer esforço consciente. Sendo responsável por muitas das ações cotidianas e decisões imediatas, como quando instintivamente desviamos de um obstáculo na rua ou reconhecemos uma expressão (raiva, medo, tristeza…). É uma forma eficiente de lidar com informações simples e rotineiras, mas pode levar a erros de julgamento quando se trata de situações complexas ou desconhecidas. Fonte: Kahneman, Daniel. Rápido e Devagar: Duas Formas de Pensar, 2011, ed. Objetiva.

Sobre o autor(a)

Agile Expert e Trainer na K21

Agile Expert e Trainer na K21, Samuel é Engenheiro de Computação e Especialista em Engenharia de Sistemas. Descobriu ser apaixonado por trabalhar com pessoas, comunidades e cultural organizacional. Atuou em várias áreas destacando-se como professor universitário, analista em educação no Senac e até mesmo como empreendedor em startups, sempre aplicando conceitos de agilidade. Em 2013 mudou a carreira para atuar como Scrum Master, desenvolvendo competências de facilitação de equipes, gestão de conflitos, coaching e gestão estratégica. Em 2016 entrou na K21 e desde então vem dedicando-se exclusivamente como Agile Expert e Trainer.

No headers found for the table of contents.

Artigos relacionados

O Guia do Scrum fala sobre o refinamento do Product Backlog: “O Product Backlog é refinado conforme necessário” (p. 9). Todavia ele não descreve exatamente o que é o refinamento. Uma reunião, uma atividade, um processo. Neste artigo vamos jogar…

Marcos Garrido, Sócio-fundador e Trainer na K21

Existem muitas formas de organizar as métricas de seu produto / empresa. Aqui neste blog já escrevemos sobre as Métricas do Pirata, Fit For Purpose (F4P) e Métricas nas Quatro Áreas de Domínio da Agilidade. Todavia, agora, queremos falar sobre…

Após alguns anos desenvolvendo produtos e ajudando outras empresas a fazer tal, gostaria de listar com vocês alguns erros comuns que percebi ao longo dessa jornada. Olhando para as 4 Áreas de Domínio da Agilidade (Negócio, Cultural, Organizacional e Técnica)…

Uma das principais habilidades que desenvolvemos enquanto consultores é a de fazer boas perguntas. Uma vez que as pessoas percebem o poder que tem uma boa pergunta, colocada ali na hora certa e que muda o destino de uma reunião,…