Feedback é uma falácia?

Há quem diga que dar e receber feedbacks é uma falácia para ajudar a melhorar o trabalho. Nós, por outro lado, preferimos afirmar que, assim como várias coisas na vida, a resposta é: depende!

Pode até ser verdade que quando o feedback é mal utilizado, mal interpretado ou mal entregue, ele não gere impactos benéficos. Situações em que o feedback não é baseado em fatos concretos, se é entregue de forma agressiva, ou, ainda, se não houver um diálogo aberto e construtivo entre as partes envolvidas, aí temos grandes chances do feedback ser uma grande falácia mesmo! Quem nunca recebeu um feedback e ficou na dúvida se era mesmo um feedback ou um despejo de opiniões próprias sem um objetivo claro?

Pois é, uma das raízes desse problema é porque muitas vezes o feedback é tratado como uma oportunidade de encontrar, analisar e classificar erros, se resumindo em momentos repletos de críticas e julgamentos.

No entanto, quando o feedback é fornecido de maneira adequada, com base em observações objetivas e com o intuito genuíno de promover o crescimento e a melhoria, ele pode ser extremamente valioso. 

Benefícios do Feedback

Os dados não nos deixam mentir: segundo uma pesquisa realizada pela Feedz, 94% dos funcionários trabalham melhor depois de receber feedback, trazendo benefícios como:

  • Melhoria contínua: permite que as pessoas identifiquem áreas de melhoria e façam ajustes em seu desempenho, comportamento e habilidades. Isso leva a um crescimento pessoal e profissional contínuo.
  • Engajamento e motivação: O reconhecimento e o feedback positivo são poderosos impulsionadores de engajamento e motivação. Quando as pessoas recebem feedbacks que destacam seus pontos fortes e conquistas, elas se sentem valorizadas e incentivadas a continuar se esforçando, além de terem clareza sobre qual sua contribuição no ambiente de trabalho e nos resultados alcançados.
  • Desenvolvimento de habilidades: O feedback ajuda as pessoas a identificar lacunas em suas habilidades e conhecimentos. Com base nessa identificação, elas podem buscar oportunidades de aprendizado e desenvolvimento para melhorar suas competências.
  • Fortalecimento do relacionamento: O feedback eficaz promove uma comunicação aberta e transparente entre as partes envolvidas. Isso ajuda a construir relacionamentos saudáveis e de confiança, permitindo que as pessoas trabalhem em conjunto de maneira mais eficiente e se sintam encorajadas a compartilhar suas ideias e opiniões.
  • Aumento da produtividade: ajuda a alinhar as expectativas e metas, permitindo que as pessoas entendam claramente o que é esperado delas. Isso leva a um aumento da produtividade, pois todos estão cientes de suas responsabilidades e podem trabalhar em direção aos objetivos comuns.
  • Melhoria da comunicação: O feedback efetivo envolve uma comunicação clara e aberta. Isso ajuda a melhorar a comunicação entre as pessoas, evitando mal-entendidos e conflitos.

Como dar feedback

Aí você deve estar se perguntando, como então dar um feedback adequado?

A resposta pode ser o que você não esperava, mas infelizmente não existe uma fórmula de bolo para isso. No entanto, temos algumas recomendações que podem te ajudar nessa missão. 

Como primeiro passo sugiro você ler o artigo do Avelino: “Quer um feedback? Não, obrigado!” para te ajudar a entender logo de cara o que NÃO fazer. 

E para garantir que o momento de feedback seja realmente proveitoso, procure refletir e se atentar para os seguintes pontos:

  • Você tem tempo para dar esse feedback? O ambiente está (mesmo que virtual) adequado, seguro, confortável? Se a resposta for não: prepare o ambiente antes.
  • Quem pediu o feedback? É uma prática comum na sua organização? Caso você seja pioneiro(a) nesse processo, deixe sempre explícito quais são os seus objetivos e intencionalidades ao iniciar qualquer momento de feedback! 
  • Quais os fatos – sejam eles positivos ou negativos – que levaram esse processo a acontecer? Procure descrever com observações e não como opiniões, julgamentos ou críticas.
  • Analise a situação que motivou o feedback: você compreende os sentimentos, necessidades e motivações da pessoa para essa situação? Você compreende os seus sentimentos, necessidades e motivações para essa situação? Se isso ainda não está claro para você, faça esse exercício inicialmente, isso ajuda a conectar melhor o que você irá trazer.

Continue seu aprendizado sobre feedback

Após essa reflexão e preparação inicial, recomendamos você ler dois artigos do Tadeu Marinho, trainer aqui da K21, que podem te ajudar a pensar no “como” realizar um feedback. Olha só: Feedbacks Horizontais com Speedwraps e Janela de Johari

Além disso, temos no treinamento de Comunicação Assertiva e Empática para o Trabalho um dia focado no tema feedback e aí vai um spoiler:

Teremos um Workshop totalmente dedicado ao tema vindo por aí! Aguardem!

E aí? Que tal exercitar as dicas e reflexões que apresentamos aqui no seu próximo feedback? Não perca o timing, vem aprender mais com a gente!

Quer saber mais sobre feedbacks? 

Artigos:

Episódios de Podcast 

Ep. 138 – Feedback ou opinião? | K21 Brasil

Ep. 26 – É feedback? (Radical Candor) | K21 Brasil

Sobre o autor(a)

Trainer na K21

Avelino Ferreira é formado e mestre em Ciência da Computação. Teve uma longa trajetória na TI, começando como programador e chegando a gestor de diversos times de criação de produtos digitais. Conheceu e começou a adotar as melhores prática de de Métodos Ágeis em 2008. Desde então, se dedica a auxiliar outras empresas na construção da cultura ágil. Atualmente, é Consultor e Trainer na K21

Artigos relacionados

Após terminar de ler o livro Ruído de Daniel Kahneman, decidi reler alguns clássicos que não olhava há algum tempo. Dentre eles, Rápido e Devagar do mesmo autor e Pensando em Sistemas de Daniela Meadows. Não pude deixar de perceber…

O Guia do Scrum fala sobre o refinamento do Product Backlog: “O Product Backlog é refinado conforme necessário” (p. 9). Todavia ele não descreve exatamente o que é o refinamento. Uma reunião, uma atividade, um processo. Neste artigo vamos jogar…

Marcos Garrido, Sócio-fundador e Trainer na K21

Existem muitas formas de organizar as métricas de seu produto / empresa. Aqui neste blog já escrevemos sobre as Métricas do Pirata, Fit For Purpose (F4P) e Métricas nas Quatro Áreas de Domínio da Agilidade. Todavia, agora, queremos falar sobre…

Após alguns anos desenvolvendo produtos e ajudando outras empresas a fazer tal, gostaria de listar com vocês alguns erros comuns que percebi ao longo dessa jornada. Olhando para as 4 Áreas de Domínio da Agilidade (Negócio, Cultural, Organizacional e Técnica)…