Vikings em 700 d.C., 8 fatos que provam que agilidade é para qualquer área do conhecimento

Desperte! E pare para jogar a favor do seu sistema organizacional. Explorando a cultura dos anos 700, dos Pagãos ou Vikings. É fascinante como a maioria das pessoas acredita que as maiores inovações, os novos estilos de liderança, o foco no objetivo, a execução do propósito, a motivação das equipes e a experimentação são coisas recentes.

No entanto, ao estudar um pouco sobre os nórdicos, percebi que esses conceitos já existiam naquela época. O que fizemos foi simplesmente ignorar esses ensinamentos valiosos. Somos muitas das vezes arrogantes, ao invés de aprender com os outros, preferimos reinventar o que já sabemos e criar nossas próprias experiências.

Barco viking com diversos vikings dentro dele. Todo em preto e branco.

Além disso, nos baseamos em uma cultura mais voltada a modelos medievais, com jogo político burocrático, muito individualismo que atrasam as coisas e criam indivíduos quase como heróis. Forma de guiar para gerar conflitos de sou melhor que o outro, ao invés de buscar melhores resultados trabalhando para o coletivo (sua empresa).

Os vikings eram um povo guerreiro e explorador, famoso por suas habilidades de navegação, construção naval e combate. E por que estou falando sobre isso? Vamos ver o que podemos aprender com eles:

Lições dos Vikings

Aqui estão algumas lições que podemos extrair da cultura viking:

  1. Saber se adaptar às mudanças: Os vikings eram conhecidos por sua habilidade em se ajustar às mudanças nas condições climáticas, geográficas e políticas. Eles remodelavam seus navios, armas e estratégias de acordo com as situações em constante evolução.
  2. Inovação tecnológica: Os vikings construíam navios avançados para suas viagens de exploração e comércio, o que lhes dava uma vantagem significativa.
  3. Aprendizado constante: Os vikings eram ávidos aprendizes e sempre buscavam novos conhecimentos e técnicas.
  4. Foco no objetivo: Os vikings tinham metas claras em mente quando partiam em suas expedições, fosse para descobrir novas terras, estabelecer rotas comerciais ou conquistar territórios.
  5. Trabalho em equipe: Os vikings valorizavam a colaboração e o trabalho em equipe. Navegavam em tripulações coordenadas e realizavam incursões em grupo.
  6. Resiliência: Os vikings enfrentavam desafios e adversidades em suas jornadas, mas sua resiliência os ajudava a superá-los.
  7. Medição e avaliação: Os vikings eram habilidosos navegadores, utilizando estrelas e outros indicadores para se orientar.
  8. Compartilhamento de conhecimento: Os vikings compartilhavam informações sobre rotas, descobertas e técnicas dentre si.

Do ponto de vista da melhoria contínua, os vikings podem nos ensinar algumas lições importantes, como a importância da inovação e da experimentação. Eles sempre buscavam maneiras de aprimorar suas habilidades e ferramentas, sem medo de experimentar novas ideias e tecnologias. Além disso, valorizavam a colaboração e o trabalho em equipe, o que os tornava um povo unido e colaborativo. Eles também entendiam a importância do aprendizado e do desenvolvimento contínuo, sempre em busca de novos conhecimentos.

Os vikings foram pioneiros no desenvolvimento de navios capazes de navegar em águas abertas, o que lhes permitiu explorar novas terras e expandir seu império. Eles também criaram novas armas e armaduras para aumentar suas chances de vitória em batalha, como o famoso machado viking. Além disso, estabeleceram colônias em toda a Europa, adaptando-se e inovando constantemente.

Os vikings podem nos inspirar a sermos mais inovadores, colaborativos e aprendizes contínuos. Se seguirmos essas lições, poderemos melhorar nossas vidas e o mundo ao nosso redor.

Se inspire nos vikings

Aqui vão algumas dicas específicas: esteja sempre aberto a novas ideias e experiências, não tenha medo de sair da sua zona de conforto. Busque oportunidades de colaborar com outras pessoas, trabalhe em equipe para alcançar seus objetivos. Dedique um tempo para aprender coisas novas, leia livros, assista vídeos e faça cursos para expandir seu conhecimento.

Mulher viking em posição imponente com várias ideias

E aí, afinal de contas, de que ano é o Ágil? Existe um marco específico? O marco que conhecemos é o da criação do Manifesto Ágil, todavia a agilidade prove desde os primórdios da comunicação entre seres humanos. O que fizemos foi complicar as coisas, tentando criar falsas sensações de segurança através de processos intermináveis nas empresas.

Claro, estou generalizando aqui e sei que isso pode ser polêmico, mas a provocação é:

  • Pare de ouvir o que você quer e busque as pessoas certas para ouvir, procure quem vai te falar a verdade te fazer perceber os fatos. Com fatos será mais fácil entender o problema e criar novos objetivos. 
  • Pare de seguir a manada, tentar usar modelos prontos fórmulas mágicas, permita a você e sua empresa a realização de experimentos focados, com objetivos claros. Separe orçamentos para os 4 horizontes em nível estratégico, mas provoquem em nível operacional também. 

Deixe de lado seus talheres de prata e seja mais viking. Conquiste resultados!

Dá uma olhada nos nossos treinamentos sobre o tema:

Sobre o autor(a)

Agile Expert e Trainer na K21

Agile Expert e Trainer na K21, Samuel é Engenheiro de Computação e Especialista em Engenharia de Sistemas. Descobriu ser apaixonado por trabalhar com pessoas, comunidades e cultural organizacional. Atuou em várias áreas destacando-se como professor universitário, analista em educação no Senac e até mesmo como empreendedor em startups, sempre aplicando conceitos de agilidade. Em 2013 mudou a carreira para atuar como Scrum Master, desenvolvendo competências de facilitação de equipes, gestão de conflitos, coaching e gestão estratégica. Em 2016 entrou na K21 e desde então vem dedicando-se exclusivamente como Agile Expert e Trainer.

Artigos relacionados

Uma das principais habilidades que desenvolvemos enquanto consultores é a de fazer boas perguntas. Uma vez que as pessoas percebem o poder que tem uma boa pergunta, colocada ali na hora certa e que muda o destino de uma reunião,…

Há cerca de uma semana um estudo com um título bombástico tomou conta da web: “268% dos projetos que passaram a utilizar Métodos Ágeis pioraram e 56% passaram a falhar”, dizia o título. E ao ler o conteúdo, pareceu que…

A polêmica da semana é sobre o suspeitíssimo “estudo” afirmando que projetos com Agilidade teriam 268% mais chance de falhar.  Muito rapidamente os cavaleiros do apocalipse já se apropriaram do conteúdo para poder dizer que já sabiam! Claro que esse…

Oi time! Vamos conversar rapidinho sobre como podemos fazer nossas reuniões renderem mais sem deixar ninguém na corda bamba com a agenda lotada. Aqui vão algumas dicas pra gente manter o equilíbrio: A) Marcando as reuniões: 1) Checagem de Disponibilidade:…