Kanban

Este post não tem tags.

Compartilhe:

Kanban board
Kanban board

Kanban é um método para gestão evolucionária de processos voltado para ambientes de trabalho do conhecimento. É evolucionário porque começa com o que já existe e evolui gradualmente o processo à medida em que se percebe a existência de filas, gargalos, retardos, dependências e especializações.

Ele se utiliza de mapas visuais de processos e de regras de movimentação dos itens de trabalho, capaz de gerar um modelo mental compartilhado onde membros de uma equipe podem colaborar para fazer o trabalho fluir, para se organizar, tomar decisões e evoluir o seu próprio processo de trabalho continuamente.

O Kanban, com essa definição voltada para knowledge workers, surgiu em 2007, por meio da evolução de conceitos e de sua experimentação dentro da indústria de software, particularmente dentro da comunidade de Desenvolvimento Ágil de Software (a definição original vem do Sistema Toyota de Produção para ambientes de manufatura). Hoje sua aplicação tem se expandido em outras áreas do trabalho do conhecimento, sendo utilizado nos mais diversos cenários e contextos.

Esses são os princípios básicos do método:

  • Visibilidade: O trabalho é projetado em um quadro visual explicitando filas, prioridades, atrasos, urgências, entregas, etc.
  • Fluxo Puxado: As filas de itens de trabalho são limitadas. Itens em progresso precisam sair antes que novos itens entrem. O processo se torna puxado pela abertura de capacidade, ao invés do tradicional, que empurra trabalho sem considerar se a equipe será capaz de atender à demanda.
  • Colaboração para fazer o trabalho fluir: A visibilidade e o fluxo puxado estimulam novos modelos de colaboração na equipe. Esta se organiza para fazer o trabalho fluir. Um fluxo contínuo de entrega de valor é criado, tornando o sistema de trabalho mais enxuto, previsível e adaptável.
  • Melhoria Contínua: O mapa de trabalho aliado às conversações frequentes atreladas a ele fazem com que o ambiente de trabalho esteja mais suscetível a mudanças e a experimentações de novas formas de se trabalhar. Esses experimentos funcionam como uma espécie de “seleção natural”, onde as práticas, regras e comportamentos que funcionam são absorvidas, enquanto que aquelas que se provam ineficientes são eliminadas.

Quer aprender Kanban na prática?

Oferecemos treinamentos de Kanban em todo o Brasil. Clique aqui!

Sobre o autor(a)

Função não encontrada

Artigos relacionados

O Guia do Scrum fala sobre o refinamento do Product Backlog: “O Product Backlog é refinado conforme necessário” (p. 9). Todavia ele não descreve exatamente o que é o refinamento. Uma reunião, uma atividade, um processo. Neste artigo vamos jogar…

Marcos Garrido, Sócio-fundador e Trainer na K21

Existem muitas formas de organizar as métricas de seu produto / empresa. Aqui neste blog já escrevemos sobre as Métricas do Pirata, Fit For Purpose (F4P) e Métricas nas Quatro Áreas de Domínio da Agilidade. Todavia, agora, queremos falar sobre…

Após alguns anos desenvolvendo produtos e ajudando outras empresas a fazer tal, gostaria de listar com vocês alguns erros comuns que percebi ao longo dessa jornada. Olhando para as 4 Áreas de Domínio da Agilidade (Negócio, Cultural, Organizacional e Técnica)…

Uma das principais habilidades que desenvolvemos enquanto consultores é a de fazer boas perguntas. Uma vez que as pessoas percebem o poder que tem uma boa pergunta, colocada ali na hora certa e que muda o destino de uma reunião,…