Troque a documentação por vídeos curtos

Marcos Garrido, Sócio-fundador e Trainer na K21

Este post não tem tags.

Compartilhe:

Gosto de iniciar os treinamentos perguntando quais são os maiores problemas no dia a dia de quem trabalha com gestão de projetos. Peço para a turma listar 5 ou 6 problemas principais e, até hoje, um problema nunca ficou de fora da lista: falha na comunicação. E isto pode estar diretamente relacionado com o processo de documentação.

Quantas vezes você já explicou algo a alguém e a pessoa entendeu outra coisa? Já se pegou distribuindo “😉” nos e-mails para garantir que a pessoa do outro lado vai entender o sentido da frase?

Comunicar com eficiência parece simples, mas é um processo complexo: o entendimento é influenciado por inúmeros fatores como experiências passadas, expectativas, interesses pessoais, meio usado para comunicar etc.

Problemas de documentações formais

Na abordagem tradicional de gestão de projetos, utiliza-se a documentação formal como uma maneira de preservar o conhecimento. Atas de reunião, documentos de especificação e lições aprendidas são alguns exemplos. No entanto, conhecimento sem contexto não é informação: é dado.

Sem o devido contexto, o conhecimento armazenado não pode ser interpretado sem que se perca sua essência, ou até mesmo o sentido. Infelizmente para a maioria de nós, transmitir contexto pela forma escrita é uma arte. Quando juntamos a comunicação verbal com a não verbal, o resultado é muito mais rico: gestos, ritmo da fala e tom de voz, além de outros fatores, ajudam a transmitir e compreender melhor o contexto.

Que tal experimentar vídeos curtos?

Foi pensando nisso que tive uma ideia tempos atrás: decidi gravar ao final de cada reunião, um video de até 2 minutos resumindo o encontro. A duração do vídeo depende da quantidade de detalhes que se deseja documentar, mas de forma geral deve-se evitar vídeos longos. É fácil perder o foco. Semanas depois, ao rever os vídeos, é fácil perceber que o contexto está ali, com todas as suas nuances. O que antes ocupava dezenas de folhas de forma ineficiente, agora pode ser feito de qualquer smartphone, com resultados muito melhores.

Recentemente ouvi de um amigo, Daniel Teixeira, que ele passou a utilizar vídeos curtos como documento de especificação. Segundo o Daniel, a experiência tem sido muito boa e há espaço para ser cada vez mais eficiente. Que bom!

Então fica a dica: troque as atas de reunião e especificações enfadonhas por vídeos curtos e ricos em contexto.

Sobre o autor(a)

Co-fundador, Consultor na Nower e Trainer na K21

Marcos Garrido, co-fundador da K21, é Certified Enterprise Coach (CEC), Certified Scrum Trainer (CST) e Certified Team Coach (CTC), fazendo parte do seleto grupo no mundo que possuem as três certificações mais importantes da Scrum Alliance. Com grande atuação internacional, possui larga experiência em Transformação Digital e Gestão de Produtos.

Artigos relacionados

Após terminar de ler o livro Ruído de Daniel Kahneman, decidi reler alguns clássicos que não olhava há algum tempo. Dentre eles, Rápido e Devagar do mesmo autor e Pensando em Sistemas de Daniela Meadows. Não pude deixar de perceber…

O Guia do Scrum fala sobre o refinamento do Product Backlog: “O Product Backlog é refinado conforme necessário” (p. 9). Todavia ele não descreve exatamente o que é o refinamento. Uma reunião, uma atividade, um processo. Neste artigo vamos jogar…

Marcos Garrido, Sócio-fundador e Trainer na K21

Existem muitas formas de organizar as métricas de seu produto / empresa. Aqui neste blog já escrevemos sobre as Métricas do Pirata, Fit For Purpose (F4P) e Métricas nas Quatro Áreas de Domínio da Agilidade. Todavia, agora, queremos falar sobre…

Após alguns anos desenvolvendo produtos e ajudando outras empresas a fazer tal, gostaria de listar com vocês alguns erros comuns que percebi ao longo dessa jornada. Olhando para as 4 Áreas de Domínio da Agilidade (Negócio, Cultural, Organizacional e Técnica)…