Onboarding indo além do que você imagina

Compartilhe:

Toda vez que entro em uma empresa fico pensando, como vou agregar valor a esse negócio? Mas na maioria das vezes, tenho que cavar muito para encontrar essa resposta, inclusive demora. 

Ouça este artigo!

E se isso fosse uma das primeiras coisas a entendermos ao entrar na empresa? O que mudaria? 

Em uma conversa com Matheus Haddad, ele trouxe para mim uma descoberta em experimentações na empresa dele, que o Onboarding precisa ir além do que é conhecido e praticado nas empresas, saindo somente do que chamamos na conversa de Onboarding Organizacional para a inclusão do Onboarding Social e Técnico. 

Mas senti falta de uma coisa, já imagina o que é, né?

Então, o resultado da nossa conversa foi que podemos organizar a chegada de novas pessoas na empresa com 4 formas de Onboarding: 

  • Onboarding Organizacional
  • Onboarding Social 
  • Onboarding Técnico 
  • Onboarding Negócio. 

Abrangendo assim os 4 domínios organizacionais, permitindo a pessoa que acabou de chegar na empresa, um senso de dona maior, com o propósito mais alinhado, sentindo-se mais aceita e sabendo como fazer as coisas.  

O que abrange cada um deles? 

Onboarding Organizacional

É o processo de integração que envolve a compreensão da estrutura da empresa e da área em que a pessoa vai atuar. Quanto mais cedo o novo funcionário entender o sistema organizacional, mais eficiente ele será. Além disso, ao entender o fluxo de trabalho em que está envolvido, ele se sentirá mais seguro para contribuir, melhorando as métricas de lead time e throughput.

Onboarding Social

A relação social ou coesão social é fundamental para o sucesso de uma empresa. Uma equipe com uma boa relação social tende a ser mais produtiva, criativa e colaborativa. 

Então, como a pessoa é recebida e aceita em um novo ambiente gera diferença nos próximos passos dela naquele ambiente. Para isso precisa-se trabalhar a aceitação do novo funcionário no grupo de trabalho, através da construção de conexões sociais. Realizar atividades como Happy Hour, exercícios de team building e outras atividades que visam fazer o novo funcionário se sentir confortável e integrado ao grupo.

Onboarding Técnico

Tem como objetivo capacitar o novo colaborador para que ele possa realizar seu trabalho de maneira eficiente e contribuir para o sucesso da empresa. Durante esse processo é necessário apresentar os padrões de qualidade que a empresa segue, bem como os acordos existentes na parte de qualidade.

Isso significa que é fundamental explicar como a pessoa pode fazer o trabalho dela da melhor maneira possível, seguindo os padrões e as políticas da empresa. Além disso, o Onboarding Técnico também é responsável por apresentar as ferramentas e sistemas utilizados pela empresa, garantindo que o novo colaborador esteja preparado para desempenhar suas atividades

É importante destacar que essa etapa deve ser conduzida de forma clara e objetiva, para que o novo funcionário possa se adaptar rapidamente ao ambiente de trabalho e começar a produzir resultados.

Onboarding de Negócios

É uma etapa crucial do processo de integração de um novo funcionário em uma empresa ao mesmo tempo a mais negligenciada. Durante esse processo, é necessário explicar como o grupo de trabalho ao qual a pessoa foi inserida ajuda a empresa a atingir os resultados de negócio.

Esse grupo pode ser responsável por direcionar esforços para um produto que traz dinheiro de forma direta para a empresa, ou pode ser um grupo de pessoas que atua como habilitadoras, diminuindo custos e garantindo a segurança. Em outras palavras, é necessário compreender a importância de cada grupo dentro da instituição e por que ele existe.

Dessa forma, o Onboarding de Negócios tem como objetivo conectar o novo funcionário à estratégia da empresa, estando alinhado com os objetivos de negócio da empresa. Isso permite que ele contribua efetivamente para o sucesso da organização.

Ok, mas e agora?

Minha experiência, em experimentos realizados, revela que o Onboarding de Negócios é a etapa mais difícil de ser executada com sucesso pelas empresas. Embora algumas empresas realizem todos os outros tipos de Onboarding, elas frequentemente misturam os processos, o que pode prejudicar a eficácia do Onboarding.

Quando um novo funcionário chega na empresa, ele pode sentir-se inseguro e sobrecarregado com a quantidade de informações recebidas. Para ajudá-lo a absorver e recordar a informação de forma eficaz, é essencial separar cada etapa do Onboarding e deixar claro o objetivo de cada uma delas.

O Onboarding de Negócios é particularmente importante, pois ele permite que o novo funcionário compreenda o papel da empresa no mercado e como sua função contribui para os objetivos estratégicos da organização. 

Portanto, sugiro que as empresas se concentrem em separar claramente cada etapa do processo de Onboarding, a fim de garantir que o novo funcionário compreenda de forma clara e eficaz as informações recebidas. Isso aumentará a eficácia do processo e ajudará o novo funcionário a se integrar mais rapidamente e efetivamente na cultura e estratégia da empresa.

O entendimento convencional 

E o que seria o convencional, o termo “onboarding” é amplamente definido como um processo de integração de novos funcionários em uma empresa, com o objetivo de facilitar sua adaptação e aumentar sua produtividade. No entanto, esse conceito não diferencia os quatro tipos de onboarding existentes.

Atualmente separando da seguinte forma: 

  1. O onboarding presencial é realizado no local de trabalho, onde os novos funcionários são recebidos pelos colaboradores e compreendem os procedimentos e a cultura da empresa. 
  2. No Onboarding virtual todo o material de integração é apresentado de forma online. 
  3. Onboarding misto combina as duas abordagens anteriores, sendo realizadas tanto no local de trabalho quanto através de recursos online.
  4. Onboarding social é focado em conectar o novo funcionário à rede social da empresa. Através de atividades sociais, eventos e outras iniciativas. O objetivo é apresentá-lo aos colegas de trabalho, líderes e outros membros da equipe para que possa construir relacionamentos e sentir-se integrado desde o início.

Deixe seu comentário aqui sobre o tipo de integração / Onboarding que realiza na sua empresa. 

Sobre o autor(a)

Agile Expert e Trainer na K21

Agile Expert e Trainer na K21, Samuel é Engenheiro de Computação e Especialista em Engenharia de Sistemas. Descobriu ser apaixonado por trabalhar com pessoas, comunidades e cultural organizacional. Atuou em várias áreas destacando-se como professor universitário, analista em educação no Senac e até mesmo como empreendedor em startups, sempre aplicando conceitos de agilidade. Em 2013 mudou a carreira para atuar como Scrum Master, desenvolvendo competências de facilitação de equipes, gestão de conflitos, coaching e gestão estratégica. Em 2016 entrou na K21 e desde então vem dedicando-se exclusivamente como Agile Expert e Trainer.

No headers found for the table of contents.

Artigos relacionados

Após terminar de ler o livro Ruído de Daniel Kahneman, decidi reler alguns clássicos que não olhava há algum tempo. Dentre eles, Rápido e Devagar do mesmo autor e Pensando em Sistemas de Daniela Meadows. Não pude deixar de perceber…

O Guia do Scrum fala sobre o refinamento do Product Backlog: “O Product Backlog é refinado conforme necessário” (p. 9). Todavia ele não descreve exatamente o que é o refinamento. Uma reunião, uma atividade, um processo. Neste artigo vamos jogar…

Marcos Garrido, Sócio-fundador e Trainer na K21

Existem muitas formas de organizar as métricas de seu produto / empresa. Aqui neste blog já escrevemos sobre as Métricas do Pirata, Fit For Purpose (F4P) e Métricas nas Quatro Áreas de Domínio da Agilidade. Todavia, agora, queremos falar sobre…

Após alguns anos desenvolvendo produtos e ajudando outras empresas a fazer tal, gostaria de listar com vocês alguns erros comuns que percebi ao longo dessa jornada. Olhando para as 4 Áreas de Domínio da Agilidade (Negócio, Cultural, Organizacional e Técnica)…