True Agile – O que a K21 Acredita

Este post não tem tags.

Compartilhe:

2018 é o ano em que o True Agile vai fazer a diferença. Sim, isso mesmo.  True Agile ou Ágil de raiz.

Hoje é necessário que se faça essa distinção uma vez que o “Agile” está definitivamente contaminado por práticas, ideias e conceitos contrários ao que o Agile realmente significa. E é por isso que encontramos por aí:

  • ScrumMasters como coordenadores de time;
  • cliente exercendo o papel de PO;
  • métodos híbridos (bi-modal ,etc);
  • fórmulas prontas;
  • melhoria continua da boca pra fora;
  • complexidade desnecessária;
  • timesheets;
  • transformação de User Story Points para Homem Hora ou Pontos de Função;
  • e por aí vai…

Agile meia-boca é o que mais se vê por aí: torto, faltando pedaço, baseado em conceitos e ideias atrasadas e principalmente top-down, sem empowerment e nada autoorganizado.

Então acredito que chegou a hora de promover o True Agile. Mas, afinal, o que é o True Agile? É aquele do Jeff, do Ken, do Ron, do Fowler e de tantos outros que lá em 2001 sequer perceberam que estavam mudando o mundo ao criar o Manifesto Ágil, seus 4 valores e 12 princípios.

Vida longa ao True Agile.

Sobre o autor(a)

Agile Expert e Trainer na K21

Apaixonado por inovação, com experiência em desenvolvimento de produtos digitais utilizando práticas de Design Thinking, Lean Startup e Desenvolvimento Ágil

No headers found for the table of contents.

Artigos relacionados

Após terminar de ler o livro Ruído de Daniel Kahneman, decidi reler alguns clássicos que não olhava há algum tempo. Dentre eles, Rápido e Devagar do mesmo autor e Pensando em Sistemas de Daniela Meadows. Não pude deixar de perceber…

O Guia do Scrum fala sobre o refinamento do Product Backlog: “O Product Backlog é refinado conforme necessário” (p. 9). Todavia ele não descreve exatamente o que é o refinamento. Uma reunião, uma atividade, um processo. Neste artigo vamos jogar…

Marcos Garrido, Sócio-fundador e Trainer na K21

Existem muitas formas de organizar as métricas de seu produto / empresa. Aqui neste blog já escrevemos sobre as Métricas do Pirata, Fit For Purpose (F4P) e Métricas nas Quatro Áreas de Domínio da Agilidade. Todavia, agora, queremos falar sobre…

Após alguns anos desenvolvendo produtos e ajudando outras empresas a fazer tal, gostaria de listar com vocês alguns erros comuns que percebi ao longo dessa jornada. Olhando para as 4 Áreas de Domínio da Agilidade (Negócio, Cultural, Organizacional e Técnica)…