O trabalho de FDP do Product Owner

Compartilhe:

Desenvolver um produto enxuto não é uma tarefa fácil. Requer foco na essência do produto para se desenvolver apenas o necessário para atender as reais necessidades do(s) cliente(s) / usuário(s). E é exatamente aí que entra o trabalho de FDP do Product Owner (PO).  Este artigo explica as três habilidades que são fundamentais para criação de produtos com alto retorno sobre o investimento.

Experimente escutar este artigo. Aperte o play!

Fatiar

As empresas constantemente cometem o erro de desenvolver “tudo” para ter a “certeza” de ter o produto perfeito, com muitas funcionalidades, que façam tudo desde o primeiro dia. Mas os resultados geralmente são: produtos caros, que não funcionam como deveriam e de difícil manutenção.

Uma boa dica para não cometer este erro é fatiar o seu produto. Fatiar um produto é uma busca constante pela menor parte que realmente agrega valor para o usuário final.

Responda a seguinte questão: “Qual é a parte mais importante do problema mais importante do usuário mais importante?”.

De acordo com a resposta, desenvolva a funcionalidade mínima exigida para resolver a parte do problema mais importante, lance o produto rapidamente, colete os resultados e adapte-os conforme feedbacks dos clientes e usuários. Repita o ciclo novamente.

Descartar

“Simplicidade – a arte de maximizar a quantidade de trabalho não realizado – é essencial” (Manifesto Ágil, 2001)

Descartar é remover tudo aquilo que não for relevante da lista de funcionalidades do produto a serem desenvolvidas.

Steve Jobs diz que “Inovação não é dizer sim a tudo. É dizer não a tudo, menos aos recursos mais essenciais”.

Um bom exemplo de descarte é o iPod da Apple. Quando foi lançado tinha apenas uma roda de cliques que oferecia todas as funções essenciais, enquanto os MP3 players no mercado faziam de tudo: rádio, vídeo, tiravam fotos, etc.

Priorizar

Rodrigo de Toledo diz que “Toda lista com dois ou mais itens precisa ser priorizada“.

Sempre há muita coisa para fazer e provavelmente não há tempo, pessoas ou recursos disponíveis. A demanda sempre superará a nossa capacidade. Portanto, devemos sempre priorizar em função do valor de negócio.

Quando surgir uma nova ideia ou necessidade, pergunte se a nova funcionalidade é fundamental para o sucesso do produto. Caso a resposta seja não, simplesmente descarte. Isso ajuda a alcançarmos produtos mais enxutos, contendo apenas funcionalidades fundamentais,. Além disso, conseguimos manter uma melhor organização e manutenção.

Saiba mais sobre o trabalho do Product Owner

Entenda o papel do Product Owner e o que ele faz no Time de Scrum.

Curtiu o assunto? Quer aprimorar seus conhecimentos e habilidades como Product Owner? Então, não deixe de conferir o nosso treinamento Certified Scrum Product Owner!

Sobre o autor(a)

Agile Expert e Trainer na K21

Apaixonado por inovação, com experiência em desenvolvimento de produtos digitais utilizando práticas de Design Thinking, Lean Startup e Desenvolvimento Ágil

Artigos relacionados

Após terminar de ler o livro Ruído de Daniel Kahneman, decidi reler alguns clássicos que não olhava há algum tempo. Dentre eles, Rápido e Devagar do mesmo autor e Pensando em Sistemas de Daniela Meadows. Não pude deixar de perceber…

O Guia do Scrum fala sobre o refinamento do Product Backlog: “O Product Backlog é refinado conforme necessário” (p. 9). Todavia ele não descreve exatamente o que é o refinamento. Uma reunião, uma atividade, um processo. Neste artigo vamos jogar…

Marcos Garrido, Sócio-fundador e Trainer na K21

Existem muitas formas de organizar as métricas de seu produto / empresa. Aqui neste blog já escrevemos sobre as Métricas do Pirata, Fit For Purpose (F4P) e Métricas nas Quatro Áreas de Domínio da Agilidade. Todavia, agora, queremos falar sobre…

Após alguns anos desenvolvendo produtos e ajudando outras empresas a fazer tal, gostaria de listar com vocês alguns erros comuns que percebi ao longo dessa jornada. Olhando para as 4 Áreas de Domínio da Agilidade (Negócio, Cultural, Organizacional e Técnica)…