As 5 maiores inovações no mercado de trabalho nos últimos 10 anos

Imagem padrão do perfil

Este post não tem tags.

Compartilhe:

O mercado de trabalho mudou muito nos últimos 10 anos. Você se lembra o quê estava fazendo em fevereiro de 2013? A K21 lembra: nós estávamos fundando nossa empresa, a fim de transformar e evoluir o mundo do trabalho.

Nossos treinamentos, educação corporativa e aceleração de negócios passaram por inúmeras mudanças nos últimos 10 anos para acompanhar, e até mesmo antecipar, as principais inovações no mundo corporativo – sempre em busca de oferecer a melhor formação aos nossos mais de 30 mil clientes.

Abaixo, reunimos as principais transformações que vivenciamos na K21 ao longo desses 10 anos.

Quais foram as principais inovações no mercado de trabalho?

Trabalho remoto

Apesar de muitos associarem o home office à pandemia de Covid-19, essa inovação já conquistava espaço no mercado de trabalho muito antes. No Censo 2010, por exemplo, foi revelado que dos 68,2% dos brasileiros com uma ocupação profissional, 23,1% deles já trabalhavam em um formato remoto.

É claro que essa mudança foi acelerada a partir de 2020, com 46% das empresas adotando esse formato de trabalho durante o ápice da pandemia. Entretanto, essa inovação se tornou parte do que é esperado das empresas – em 2022, foi registrado um crescimento de 496% de vagas para home office.

Essa flexibilidade também abriu portas para muitos profissionais, que puderam explorar oportunidades internacionais de trabalho. Apenas entre 2020 e 2022, o número de pessoas que vivem no Brasil, mas trabalham para o exterior, aumentou 491%.

Metodologia Ágil

Os métodos ágeis ganharam popularidade nos últimos anos por trabalhar a produtividade e engajamento nas companhias. Todavia, essa metodologia é resultado de anos de aprimoramento. 

O nome Ágil (ou Agilidade) foi escolhido para representar o movimento que surgiu nos anos 90 em resposta aos pesados métodos de gerenciamento de desenvolvimento de software que predominavam na época.

Como os métodos tradicionais se caracterizam por planos detalhados criados no início da produção, mudanças eram fortemente indesejadas – e até atrapalhavam a rotina da equipe, atrasando a conclusão de projetos. 

Em busca de um espaço que permitisse a inovação e a agilidade, surgiram métodos como Scrum e Extreme Programming, criados segundo os princípios e valores do Manifesto para o Desenvolvimento Ágil.

O Manifesto foi criado em 2001 em uma reunião nos Estados Unidos com 17 líderes representantes de ideias, metodologias e processos. Em contraste com as práticas predominantes na época, o Manifesto tem como intuito trazer valor para seus clientes por meio de abordagens leves e empíricas para projetos de desenvolvimento de software. 

Veja abaixo o manifesto:

“Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver software, fazendo-o nós mesmos e ajudando outros a fazerem o mesmo. Através deste trabalho, passamos a valorizar:

  • Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas;
  • Software em funcionamento mais que documentação abrangente;
  • Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos;
  • Responder a mudanças mais que seguir um plano;

Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, valorizamos mais os itens à esquerda.”

YouTube video

Se você quer saber como utilizar a metodologia ágil na sua empresa, conheça a Introdução a Agilidade da K21.

Inovação Aberta

Ainda que não tão conhecida pelo grande público como outras transformações, a inovação aberta é queridinha de corporações ao redor do mundo. 

A inovação aberta é um modelo de gestão empresarial que incentiva o desenvolvimento disruptivo na empresa por meio de parcerias externas com outras pessoas e organizações. 

Ao entender que uma única empresa não terá o conhecimento necessário para seguir todas as tendências e inovações no mercado, ela se permite abrir espaço para outros profissionais trazerem suas experiências e aprimorarem o funcionamento da corporação.

Para se ter uma ideia do sucesso da inovação aberta, o número de contratos nesse formato quase dobrou entre 2020 e 2021, saltando de 1.968 para 3.334 conforme a 100 Open Startups.

Soft skills

Nós crescemos aprendendo sobre a importância de cursos profissionalizantes e de graduação ao ingressar no mercado de trabalho. Mas, nos últimos 10 anos, o mercado passou a entender que o ensino formal não é suficiente para manter boas relações intrapessoais e se destacar em ambientes profissionais. 

As soft skills são competências sociais e comportamentais desenvolvidas a partir de experiências pessoais e profissionais com outros indivíduos. De acordo com o Fórum Econômico Mundial, essas são as 15 soft skills que estarão em alta até 2025:

  • Pensamento analítico e inovação;
  • Aprendizagem ativa e estratégias de aprendizado;
  • Resolução de problemas;
  • Pensamento crítico;
  • Criatividade;
  • Liderança;
  • Uso, monitoramento e controle de tecnologias;
  • Programação;
  • Resiliência, tolerância ao estresse e flexibilidade;
  • Raciocínio lógico;
  • Inteligência emocional;
  • Experiência do usuário;
  • Ser orientado a servir o cliente (foco no cliente);
  • Análise e avaliação de sistemas;
  • Persuasão e negociação.

Ou seja, além de ter os requisitos técnicos para fazer o que lhe foi designado, é necessário que a empresa tenha profissionais com habilidades sociais como trabalho em equipe, flexibilidade e liderança

Liderança

Apesar de ser considerada uma soft skill, a liderança é a habilidade socioemocional que mais se destacou no mercado de trabalho nos últimos 10 anos. Isso porque motivar equipes a fim de alcançar determinado objetivo é uma skill necessária para todos os profissionais, não apenas os que ocupam cargos de gestão.

Leia também: O que é Liderança Ágil?

Em um mercado com mais cobranças e expectativas, se destacam aqueles que resolvem problemas, valorizam os colegas, estão abertos a aprender e a inovar! E com o treinamento oficial Management 3.0 Foundation, é possível levar a transformação ágil para a gestão.

Ao longo desse treinamento, é possível se transformar em uma liderança inspiradora, redefinindo o conceito de liderança e gestão e trabalhando conceitos como adaptabilidade e inovação. 

Acesse a página do Management 3.0 com certificação oficial e conheça nosso treinamento!

Sobre o autor(a)

Função não encontrada

Artigos relacionados

Após terminar de ler o livro Ruído de Daniel Kahneman, decidi reler alguns clássicos que não olhava há algum tempo. Dentre eles, Rápido e Devagar do mesmo autor e Pensando em Sistemas de Daniela Meadows. Não pude deixar de perceber…

O Guia do Scrum fala sobre o refinamento do Product Backlog: “O Product Backlog é refinado conforme necessário” (p. 9). Todavia ele não descreve exatamente o que é o refinamento. Uma reunião, uma atividade, um processo. Neste artigo vamos jogar…

Marcos Garrido, Sócio-fundador e Trainer na K21

Existem muitas formas de organizar as métricas de seu produto / empresa. Aqui neste blog já escrevemos sobre as Métricas do Pirata, Fit For Purpose (F4P) e Métricas nas Quatro Áreas de Domínio da Agilidade. Todavia, agora, queremos falar sobre…

Após alguns anos desenvolvendo produtos e ajudando outras empresas a fazer tal, gostaria de listar com vocês alguns erros comuns que percebi ao longo dessa jornada. Olhando para as 4 Áreas de Domínio da Agilidade (Negócio, Cultural, Organizacional e Técnica)…